A desaceleração econômica da América Latina e o impacto no mercado de trabalho

Esta publicação também está disponível em: Inglês Espanhol

O declínio dos preços das matérias-primas e o crescimento mais lento da China são as principais forças por trás da profunda desaceleração que a América Latina e o Caribe vêm sofrendo desde 2012. O crescimento na América Latina e no Caribe este ano girará provavelmente em torno de 0%, abaixo de 1% em 2014. Esse desaquecimento começa a ter impacto nos mercados de trabalho da região – prejudicando a criação de empregos, elevando o desemprego e reduzindo os salários reais. 

Esse foi o tema principal do relatório semestral do Escritório do Economista-Chefe para a América Latina e o Caribe. O relatório foi lançado no evento do dia 6 de outubro de 2015, antes das reuniões anuais das Assembléias de Governadores do Fundo Monetário Internacional e do Grupo do Banco Mundial, realizadas em Lima, Peru. O estudo destaca que os riscos do desaquecimento econômico poderão reverter os recentes progressos sociais feitos pela região.

Os comentários escritos do Michael Shifter estão disponíveis para download em espanhol. Um vídeo está disponível em português abaixo, bem como em espanhol e inglês. O relatório completo é unicamente disponível em inglês. O sumário executivo do relatório também está disponível em espanhol.